Preocupação transformada em sorriso Postado quinta-feira, 19 de março de 2015 por admin

Vanessa e Enzo

“Meu filho Enzo nasceu no dia 27 de maio do ano passado, no Hospital Santa Luzia, em Brasília. Ao fazer a ultra sonografia morfológica, durante o meu quinto mês de gestação, descobri que o meu pequeno tinha fissura lábio palatina, uma condição da qual eu nunca tinha ouvido falar antes. Para piorar, infelizmente, o médico que fez o meu acompanhamento não me deu muita orientação sobre a fissura, apenas disse que teríamos que esperar o Enzo nascer para ver a gravidade e que seríamos encaminhados para o HRAN (Hospital Regional da Asa Norte) após o nascimento, pois lá é que ocorre o tratamento para esses casos.

Quando o Enzo nasceu, a equipe médica me falou que a fissura era apenas no lábio, mas mesmo assim chorei muito. Apesar do meu médico ter dito que ele não mamaria no peito, isso não aconteceu, o Enzo conseguiu mamar a partir do segundo dia de vida e pegava muito bem, não teve dificuldades. Mesmo assim, ficava preocupada pensando como ia ser sua alimentação e se ele teria alergia a tudo. Fora outras preocupações, como o preconceito das pessoas e como seria a cirurgia.

Porém, quando o Enzo tinha 20 dias fui pela primeira vez ao HRAN marcar a consulta e tudo mudou. No mesmo dia passamos pela psicóloga, que nos tranquilizou e mostrou que ele é uma criança normal como qualquer outra e deve ser tratada como tal. Em seguida, passamos pelo cirurgião que nos explicou todo o processo e continuamos com outras especialidades. A cirurgia foi marcada para o dia 8 de outubro, enquanto isso fizemos os exames solicitados para verificar se estava tudo certo.

Foram passadas as orientações e no dia da operação estávamos acompanhados pela psicóloga, que foi de grande ajuda. Foi feito uma obra de arte e o lábio dele ficou perfeito! A partir dali sabia que não ia mais viver com o preconceito das pessoas, olhares, cochichos e risos maldosos e meu filho não ia sofrer com isso. A respiração dele também melhorou bastante.

A fissura é só no lábio, então serão feitas mais duas cirurgias: uma na gengiva, que foi afetada; e outra no nariz. A equipe é sensacional, eles têm amor pelo que fazem, porém o local não ajuda. Se eles tivessem um lugar só para esse atendimento poderiam trabalhar mais ativamente com quem sofre de fissura. Agradeço pela existência da Smile Train que tem feito um serviço maravilhoso e tem mudado vidas”.

 

Depoimento de Vanessa, mãe de Enzo.